Curta nossa página e fique bem informado com os informes e estudos cristãos.

Curta-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Assine os Feeds Entre em contato

Reflexão: Aprendendo com a parabóla das dez virgens (Mt 25)

Marcio Roberto Ramos | 18.10.13 | 0 comentários



O Reino dos céus será, pois, semelhante a dez virgens que pegaram suas candeias e saíram para encontrar-se com o noivo.

Os casamentos nos tempos orientais eram muito diferentes dos que temos hoje. O casamento naquela época era constituído da seguinte forma: O noivo ia até a casa da noiva, era recebido por ela e seus pais. Após ter a noiva ao seu lado, já como esposa, o noivo saía da casa da noiva e se dirigia até a sua casa ou de seus pais. Durante esse cortejo de ida até sua casa, os convidados e amigos que iriam participar se encontravam pelo caminho e iam festejando com o noivo e a noiva até a sua nova casa. Entre esses convidados estavam costumeiramente algumas donzelas, também chamadas virgens, que faziam parte do cortejo nupcial até o banquete na casa dos recém-casados. (Bíblia de estudo Almeida Revista e Atualizada)

Mt 25.2 "Cinco delas eram insensatas, e cinco eram prudentes.”

Jesus então divide as 10 virgens em dois grupos de 5. Metade delas tinha prudência naquilo que faziam, eram espertas e se preocupavam com a vida e com aquilo que deveriam fazer. Ao contrário dessas, as outras 5 levavam uma vida desregrada e sem muita organização e sensatez.

Mt 25.3 "As insensatas pegaram suas candeias, mas não levaram óleo.”

Algumas traduções da bíblia falam de lâmpada, outras traduzem como candeia. Mas o que é uma candeia? Candeia era uma espécie de vasilhame de barro, similar àquela lâmpada mágica que o Aladim esfregava e saía o gênio. Por uma abertura colocava-se o óleo e na outra (onde seria o bico onde o gênio saía) saía à língua de fogo que iluminava. Também existia outro tipo de candeia que era parecida com uma tocha.

Podemos notar que por saírem sem levar óleo extra para caso precisassem, podemos presumir que a candeia com a qual elas saíram já continha um pouco de óleo, o que lhes poderia servir apenas para um determinado período, afinal em algum momento o óleo poderia acabar e seria necessário colocar mais.

Talvez as virgens imprudentes tivessem pensado que o noivo demoraria um determinado tempo até chegar e que óleo que já estava em suas Candeias seria suficiente para chegar até o cortejo e acompanhar o noivo.


Mt 25.4 “As prudentes, porém, levaram óleo em vasilhas junto com suas candeias.”

As prudentes, ao contrário das insensatas levaram azeite reserva consigo. Por serem prudentes elas já haviam analisado que seria sábio levar mais azeite para caso viessem necessitar. Uma nota de curiosidade: o óleo usado naquela época era o azeite de oliva.

Mt 25.5 “O noivo demorou a chegar, e todas ficaram com sono e adormeceram.”

Interessante é notarmos que todas as virgens pegaram no sono. Não foi exclusividade das insensatas, porque eram imprudentes ou coisa do tipo, mas todas elas adormeceram. Até mesmo aquelas que se achavam preparadas para a espera do noivo foram pegas.

Mt 25.6 “À meia-noite, ouviu-se um grito: ‘O noivo se aproxima! Saiam para encontrá-lo’.”

A parábola nos diz então que alguém anunciou a vinda do noivo! Uma voz gritava e chamava todos àqueles que estavam esperando por aquele momento, o momento de brindar com o noivo e participar de sua grande festa!

Mt 25.7 “Então todas as virgens acordaram e prepararam suas candeias.”

As virgens acordaram com o voz que gritava e anunciava a vindo do noivo. Se deduz que se elas não tivessem escutado a voz, dificilmente teriam levantado. A voz serviu de “despertador” para aquelas virgens que esperam pelo noivo. Depois de ouvirem, levantaram e foram arrumar suas Candeias.

Mt 25.8 “As insensatas disseram às prudentes: ‘Dêem-nos um pouco do seu óleo, pois as nossas candeias estão se apagando.”

As insensatas ao acordarem viram que suas Candeias estavam se apagando e viram que as prudentes tinham óleo para repor e assim dar continuidade ao fogo. Mas, perante isso o que as prudentes fizeram?

Mt 25.9 “Elas responderam: ‘Não, pois pode ser que não haja suficiente para nós e para vocês. Vão comprar óleo para vocês.”

Não havia óleo suficiente para abastecer e sustentar as 10 virgens durante o cortejo nupcial. As prudentes não poderiam correr o risco de perderem a festa por causa das 5 virgens imprudentes. Corria-se o risco de todas ficarem sem e ninguém participar da festa. A bíblia de estudo NVI comenta que as Candeias (semelhante a tochas) usadas por elas consumiam uma grande quantidade de óleo. Era necessário abastecer a candeia a cada 15min.

Mt 25.10 “E saindo elas para comprar o óleo, chegou o noivo. As virgens que estavam preparadas entraram com ele para o banquete nupcial. E a porta foi fechada.”

Neste momento as imprudentes colhem aquilo que haviam plantado. Haviam percebido que escolha que fizeram de não levar óleo reserva tinha lhes custado a perda do cortejo.

As vezes ao lermos este trecho, imaginamos que as prudentes agiram de má fé para com as imprudentes, dizendo a elas para irem comprar só para que o noivo chegasse e não as encontrasse ali. Mas está longe de ser essa conotação que o texto quer nos passar. Se nos colocarmos na situação das prudentes, perceberemos que todas elas estavam ali esperando pelo noivo que estava a caminho, porém ainda não havia chegado. Então as prudentes dizem às imprudentes para irem comprar, ou seja, “estamos todas aqui esperando pelo noivo, ele ainda não chegou, portanto vão e comprem óleo para vocês enquanto ele não vem.”


Mt 25.11 “Mais tarde vieram também as outras e disseram: ‘Senhor! Senhor! Abra a porta para nós!’.”

Depois que a porta havia se fechado, vieram as insensatas e pensaram que o noivo lhes abriria a porta, afinal, elas apenas tinham ido comprar mais óleo para suas Candeias. Provavelmente pensaram que o noivo teria compaixão delas por todo o “esforço” que elas haviam feito para estar ali naquele momento com ele.

Para complementar a exclamação “Senhor! Senhor!”, podemos ler Mateus 7.21 que diz “Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor, Senhor’, entrará no Reino dos céus, mas apenas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus.”

Mt 25.12 “Mas ele respondeu: ‘A verdade é que não as conheço!’.”

As insensatas então receberam a notícia de que o noivo não as conhecia. Esse “não as conheço” não quer dizer que o noivo não as conhecia pessoalmente, mas sim de que a festa já tinha começado e que todos os convidados que estavam prontos na hora em que o cortejo tinha acontecido, já haviam entrado para a festa. O noivo, portanto não tinha mais partes com as 5 virgens que não se prepararam para aquele momento.


Mt 25.13 “Portanto, vigiem, porque vocês não sabem o dia nem a hora!”

Nesse versículo está o significado da passagem, a lição que ela quer nos passar. A lição é de que o dia e a hora são desconhecidos para aqueles que esperam pela volta do noivo. Quando o noivo voltar (Jesus) ele buscará aqueles que estiverem preparados para a sua volta. De nada adiantará ficar se lamentando, “batendo na porta” ou voltar para comprar óleo quando o noivo chegar.

Jesus voltará para buscar aqueles que estiverem prontos e preparados.


“Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto. Deixe o ímpio o seu caminho, e o homem maligno os seus pensamentos, e se converta ao Senhor, que se compadecerá dele; torne para o nosso Deus, porque grandioso é em perdoar.” Isaías 55.6-8

Category:

0 comentários

AS MAIS MAIS....DO PÚBLICO

CONFIRA TAMBÉM

Fechamento do Dólar nos últimos dias

Recommended Post Slide Out For Blogger